Adoçantes estão associados ao ganho de peso e a várias doenças a longo prazo

Evidências recentes sugerem que esses produtos podem ter efeitos adversos sobre o metabolismo do açúcar nas bactérias digestivas e no controle do apetite.

Uma das primeiras armas que lançam mão quando se trata de perder peso são os adoçantes. Seja em bebidas, sucos, leite, sobremesas, bolos ou adicionados diretamente no chá ou café, produtos como o aspartame, sucralose e estévia são cada vez mais consumidos em todo o mundo.

Mas, como acontece muitas vezes, depois de viver seus anos de fama, os adoçantes estão cada vez mais sendo questionados.

Por esta razão, muitos países decidiram analisar as evidências existentes sobre os benefícios destes produtos, bem como seus possíveis riscos para a saúde, a fim de fornecer orientações sobre o assunto.

Recentemente, um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Manitoba, no Canadá, analisou 37 estudos sobre adoçantes, concluindo que estão associados com o ganho de peso a longo prazo, bem como uma série de problemas metabólicos e de saúde cardiovascular.

Os resultados desta análise estão publicados na revista da Associação Médica Canadense.

Adoçantes

Precaução

A revisão foi realizada por pesquisadores do Centro de Inovação em Saúde George & Fay Yee, da Universidade de Manitoba. Foram incluídas mais de 400 mil pessoas.

Dos estudos totais, sete foram randomizados e clinicamente controlados por um período de seis meses. Nenhum deles conseguiu demonstrar um efeito consistente de redução de peso. Enquanto isso, os outros 30 trabalhos observaram pessoas com mais de 10 anos de idade, e no caso delas mostraram uma associação entre o consumo de adoçantes e um aumento do risco de ganho de peso e obesidade, hipertensão arterial, diabetes tipo 2 e problemas cardíacos .

“Apesar do fato de que milhões de pessoas usam adoçantes rotineiramente, poucos pacientes foram incluídos em ensaios clínicos destes produtos,” diz o Dr. Ryan Zarychanski, um dos autores do estudo e professor da Faculdade Rady de Ciências da Saúde, da Universidade de Manitoba. “Descobrimos que os dados desses ensaios clínicos não suportam claramente os benefícios para o controle de peso que esses adoçantes afirmam promover”, acrescenta.

“Neste caso, é preciso tomar cuidado até que os efeitos na saúde a longo prazo com o uso de adoçantes estejam completamente descritos,” diz a Dra. Meghan Azad, que liderou o trabalho na U. de Manitoba. Ela está iniciando um estudo para entender como o consumo de adoçantes por mulheres grávidas pode influenciar o ganho de peso, o metabolismo e as bactérias digestivas.

“Devido ao uso cada vez mais generalizado de adoçantes e a atual epidemia de obesidade e doenças relacionadas, é necessário mais investigação para determinar os riscos e benefícios desses produtos a longo prazo”, disse Azad.

Deixe uma resposta