Déficit de testosterona, uma condição subdiagnosticada

Déficit de testosterona

A síndrome de deficiência de testosterona (SDT) afeta 40% dos homens com mais de 50 anos, embora que a partir dos 40 anos de idade já aumenta o risco e provoca a perda do desejo sexual e o surgimento de vários problemas de saúde.

A síndrome de deficiência de testosterona (SDT) é um distúrbio que pode afetar 40% dos homens acima de 50 anos, embora a partir dos 40 anos de idade o risco aumenta muito. Especialistas alertam, no entanto, que é uma condição subdiagnosticada, pois sua verdadeira prevalência é desconhecida.

A SDT ocorre devido a uma diminuição na produção de testosterona pelos testículos, e uma vez que é um hormônio que pode evitar a ocorrência de várias patologias, é importante que a sua deficiência seja detectada precocemente para estabelecer tratamento adequado.

Para o diagnóstico precoce da SDT, os especialistas aconselham que os homens façam exames médicos regulares, algo que no Brasil ainda não acontece com frequência, porque a população não está muito preocupada com os problemas de saúde e a qualidade de vida que podem causar falta de testosterona nos homens.

Assim, além do déficit deste hormônio estar associado à diminuição do desejo sexual e dificuldade em atingir o orgasmo, pode também causar condições, tais como a disfunção erétil, aumento da gordura localizada, com consequente aumento de peso e obesidade, síndrome metabólico, fadiga e falta de energia, diminuição da massa muscular, osteopenia e osteoporose, perda de memória e diminuição da capacidade cognitiva e distúrbios emocionais, como depressão e insônia.

Atualmente, existem tratamentos para a SDT, que devem ser sempre personalizados, e baseiam-se na administração de testosterona por via transdérmica (adesivos ou cremes) ou intramuscular, e de reposição hormonal. Portanto, os especialistas insistem que homens realizem revisões anuais a partir dos 40 anos de idade e consultem um médico antes de qualquer anomalia detectada para diagnosticar e tratar precocemente, e evitar possíveis complicações.

Deixe uma resposta