O exercício físico reduz o risco de dor crônica nas costas

exercício físico

Realizar exercícios físicos regulares de forma moderada, como caminhar, nadar ou subir escadas, e inclusive se manter ativo durante o tempo de lazer, pode auxiliar na redução de 14% o risco de dores lombares crônicas.

Manter-se fisicamente ativo, incluindo a realização de caminhadas, ou algo simples como subir escadas com regularidade pode reduzir o risco de sofrer dores nas costas de maneira crônica em um índice de 14% menos, uma percentagem que pode subir para 16% se os exercícios forem mais intensos, segundo uma revisão de 36 estudos publicada pelo Jornal Britânico de Medicina do Esporte, onde analisaram dados de mais de 158.475 pessoas.

Em outros estudos já foram observados que o exercício físico diminuiu o número de episódios de dores lombares ou a intensidade da dor, mas a nova pesquisa, liderada pelo Dr. Rahman Shiri, um pesquisador do Instituto Finlandês de Saúde Ocupacional em Helsinki (Finlândia) sugere que o exercício ou desfrutar de momentos de lazer de uma forma ativa também ajuda a reduzir as chances de desenvolver dores crônicas nas costas.

No novo trabalho foram considerados indivíduos fisicamente ativos que realizaram qualquer tipo de esporte ou atividades físicas leves, como caminhada, natação, ou subir escadas uma ou duas vezes por semana, e por pelo menos durante 30 a 60 minutos. E, que sofriam de dores crônicas nas costas de maneira persistente por três meses ou mais, ou por mais de 30 dias nos últimos 12 meses.

Embora os níveis de atividades físicas não tenham envolvido uma redução no risco de sofrimento das dores crônicas ou esporádicas, eles não diminuíram tampouco as possibilidades de hospitalização ou deficiência associada a este problema de saúde. Portanto os autores do estudo recomendaram a prática de exercícios físicos de baixo impacto, incluindo Yoga e Pilates que, além de melhorar a flexibilidade e a mobilidade para prevenir as dores das costas, eles advertem que todos os aspectos que envolvem voltas e reviravoltas repetitivas, como o golfe ou tênis, por exemplo, sejam evitados.

Deixe uma resposta